Missionários Profissionais


Normas e diretrizes. O pode ou não pode.
Tenha uma assessoria. Seja inacessível, tem um escritório que responde por você. 
Pague pela palestra. Código de conduta. Não atenda o celular durante o trabalho. 
Horários cronometrados. "Eu vou se você me pagar pra ir." Depois da fama, saia antes de terminar para não ter que atender a fotos ou a pedidos de oração, ou ainda, chegue depois que começar, pegue o microfone, dispare sua palestra e saia.  Sites, blogs, redes sociais, mídias impressas, emblemas, patentes, livros e etc.




É uma empresa. Código de conduta "artistal", produto e valor pra se atender. Uma organização perfeita. A mensagem totalmente carregada de auto-promoção, bem pingada com uma certa humildade cristã. A publicidade vende bem no meio gospel. 
Quem disse que crescimento é sinal de Deus?
Quem disse que sucesso é relevância? Pragmáticos.
Bem, com certeza você imaginou uma empresa.
E é. Porém, o objetivo deveria ser diferente. O missionário moderno tem que ter status. Quem disse que andar de chinelo é coisa de Deus? Não vemos fotografias entre as crianças que passam fome. Ou melhor, as vezes até vemos. Mas porque? Pense e veja. Vemos imagens de imposição de mãos, poder, glória, audiência... como as multidões veneram!

Interessante que Jesus não tirava foto quando colocava a mão no lixo. 
Sua disposição ministerial era Deus e Deus mesmo.

O que me revolta é a inacessibilidade que muitos cristãos famosos expressam no seu dia a dia. As vezes entro só pra ver, os milhares de scraps, twitadas e outras mensagens não respondidas na página dos famosos. 
E nem uma nota sequer de agradecimento, de satisfação. Diga que vai contratar, eles respondem.




Elogie pra você ver. Te retwitam. Marcam como favorito sua singela mensagem. Pergunte qualquer coisa, o silêncio e a indiferença é a resposta. Esse discipulado informal, sem compromisso com a vida, nem respeito ao ser humano.

Ser cristão assim?  Acredito que não.
Se Jesus era acessível, o que dizer destes?
A experiência de ser discípulo foi pelo ralo,
O ministério deixa de ser de Cristo, e passa a ser do José, do João, da Joaquina e de todos os outros.

O mestre nos ensina em Mateus 19:13 ao 15 "Então, trouxeram-lhe algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos e orasse por elas. Os discípulos, contudo, os repreendiam. Mas Jesus lhes ordenou: “Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas”. E, depois de ter-lhes imposto as mãos, partiu dali. Dificilmente os ricos serão salvos"
Os que falam em nome de Deus, mas rejeitam o simples, abusam do pequenino, é contra esses a crítica dessa crônica. Visto que, o próprio Jesus, disse que o Reino de Deus será daqueles que se tornarem como aquelas crianças que queriam estar com ele. No púlpito são a expressão do amor e da bajulação, sem o microfone do poder são a própria depressão.

Ligue para o 0800, aguarde para ser atendido. Assim segue os missionários profissionais do século XXI. Ser missionário virou profissão, com carteira assinada e tudo.

Termino esse texto com citação do querido Pastor Ed René kivitz que diz: “Os que trabalham com lã, os sapateiros, os lavadeiros e os camponeses mais iletrados e rústicos fizeram mais pelo evangelho do que os bispos, apologistas e teólogos”. Esta afirmação de Celso, historiador pagão do século 2, não é apenas surpreendente, mas também sintetiza um dos maiores desafios para a igreja contemporânea: resgatar a dimensão sagrada do trabalho e devolver o protagonismo da fé cristã aos chamados leigos. O tempo dos missionários profissionais passou. Agora é hora dos profissionais missionários."

Sejamos profissionais, aonde quer que estejamos. Nas empresas, na escola, nas ruas, nas feirinhas, nas comunidades, entre os familiares e amigos e propaguemos com a vida o evangelho de Jesus Cristo, o Salvador.
Andy Veríssimo Blogueiro

Cristão, publicitário de profissão, teólogo e poeta nas horas vagas. Músico e ministro de louvor, amante de sorrisos, do amor, dos livros e de bacon, é claro. Desde pequeno, sempre escrevi poesias, sempre apaixonado pela escrita decidi colocar alguns desses retalhos num blog.

2 comentários:

  1. Oi Andy!

    Que texto maravilhoso, você escreve muito bem :)
    Também me revolta esse lado dos "cristãos" famosos. Só pode ser taxado como cristão, aquele que tem semelhança com as ações Cristo. Se você não ama, não perdoa, não ajuda, não orienta [...] você não é cristão, pois Cristo fazia isso.
    É um texto pra pensar e divulgar, parabéns!

    Beijocas
    http://www.carolice.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Cah! Que alegria te ver por aqui. Obrigado pelo coments. Realmente, os cristãos são conhecidos hoje pela prosperidade eminente. Sofrimento não faz parte do cristianismo do século XXI, entretanto, o sofrimento fez parte da vida e da história da igreja no passado. Ser cristão deixou de ser "doloroso", e ser igual a Cristo, é algo que não é fácil e nunca será, porém necessário e essencial, afinal, somos discípulos.

      Beijão,
      http://www.andyverissimo.blogspot.com

      Excluir