A arte de liderar louvor



Liderança não é um evento, é um processo.
John Maxwell


Galerinha, tudo bem com vocês?
Começo hoje uma série de textos aqui onde você poderá utilizar na sua Igreja em forma de estudo. Logicamente que não poderei entrar afundo, pois muitos assuntos serão um pouco complexos e não seria legal que os textos ficassem grandes. O ideal seria ministrar pessoalmente, neste caso.

Você também pode me convidar para ministrar em sua Igreja. Me formei no curso de Teologia com enfase em louvor e adoração no CTMDT - Centro de Treinamento Ministerial Diante do Trono em Minas Gerais. Ministro oficinas na área de louvor e evangelismo, matérias como Liderança de Louvor, Prática em conjunto, Arte no evangelismo, Espiritualidade, coração do artista, entre outros. Qualquer coisa só entrar em contato. 


Bom gente, sei que o tema fala de "A arte de liderar louvor", e logo de inicio já pensamos que tudo será direcionado para o líder de louvor, mas, você pode utilizar as dicas aqui colocadas no seu ministério de dança e de artes em geral. Nosso estudo serve para todos, pra você líder e para você liderado.

Vamos falar sobre a equipe, suas funções, quem é o líder, a prática do ensaio, como montar uma ministração e como escolher as músicas.

Tenha consciência que um líder de louvor não nasce pronto. É uma caminhada que precisa ser aprendida como toda arte. Como nos tornamos melhores ministros?

- Tempo;
- Prática;

O tempo envolve seu relacionamento com Deus em primeiro lugar, pois ele é a fonte e o motivo de tudo que fazemos e a prática que é o contato com o grupo, com a Igreja e com as pessoas.

Um erro muito comum de ministros de louvor é o de querer copiar ministrações. Já vi muitos por aí que chegam a ser clones de cantores famosos. Tem a voz parecida, o jeito parecido, firulas parecidas e por aí vai. Já vivi situações onde o ministério de louvor deixava de cantar determinada música pois não conseguiu tirar igualzinho do cd. Absurdo não é?! 
Sei que como em toda arte ou profissão, nós sempre nos espelhamos em alguém que admiramos, mas você tem que saber que Deus tem um cajado para você. Deus não quer que você use o cajado dos outros, ele tem um pra você. Então seja original, seja você mesmo. Só compra comida congelada quem não sabe cozinhar. Só copia ministração, quem não se alimenta no seu secreto com Deus. 

Diante desse posicionamento, existem aqueles que tem síndrome de celebridade. Quantos músicos e ministros metidos nas igrejas por aí, que com um microfone na mão são a simpatia em pessoa, mas quando descem do palanque mal olham para as pessoas. Tenho certeza que você conhece uma meia dúzia. É a síndrome de celebridade. Mas saiba, o mesmo Deus que pode levantar, é o Deus que te dá uma rasteira se você se exaltar e achar que é alguma coisa sem Ele.  Deus dá graça aos humildes, mas resiste ao soberbo - Tiago 4:7. Lúcifer era líder de adoração no céu, mas o sucesso subiu sua cabeça e você sabe o que houve depois disso. Daí podemos ter um vislumbre da importância da adoração na igreja. 

Caminhamos numa linha tênue entre musica e adoração. Musica não é adoração, mas podemos usar a música para adorar a Deus, assim como dança, o teatro, a pintura e etc.
Já conheci ministros de louvor que ficavam tristes por não serem escalados para o culto de domingo, o culto de maior visibilidade, mas surge uma pergunta diante disso. Você canta pra Deus ou para as pessoas? Vamos tratar disso em outros posts.

O canto que é para Deus vai alcançar as pessoas. Mas se você cantar para as pessoas de você mesmo, você só receberá elogios vazios, e dentro do seu coração sempre faltará algo, que é a real intimidade com o Espírito Santo. Seja fiel a Deus independente se você vai estar numa igreja de 20, ou na marcha pra Jesus com 5 milhões de pessoas.



Pessoal, hoje foi um texto de introdução, espero que tenham gostado.
Que Deus abençoe sua vida, terça que vem tem mais!

Fiquem na paz.
Andy
Andy Veríssimo Blogueiro

Cristão, publicitário de profissão, teólogo e poeta nas horas vagas. Músico e ministro de louvor, amante de sorrisos, do amor, dos livros e de bacon, é claro. Desde pequeno, sempre escrevi poesias, sempre apaixonado pela escrita decidi colocar alguns desses retalhos num blog.

4 comentários:


  1. Ministro de música


    1. Toda pessoa tem o sagrado direito de frequentar os cultos e atividades da igreja e de sentir-se muito feliz, sereno, confortado, em qualquer idade.

    2. O ouvido tem alta sensibilidade e suporta confortavelmente, por uma, duas horas, no máximo, 50 decibéis. Passou disso, além do mal que faz à saúde, incomoda muito.

    3. Todo instrumento pode ser usado no louvor, com inteligência, mesmo sabendo que há aqueles próprios para o culto.

    4. Culto não é show.

    5. Não existe hino ou música velhos.

    6. É preciso selecionar hinos próprios para cada ocasião, com mensagem, poesia, melodia, harmonia, ritmo. Ritmos assincrônicos desorganizam a química cerebral. Derrubam pessoas e até muros. Josué 6:20 Juízes 7:18

    7. Fundo musical durante o culto não pode interferir, desconcentrar, incomodar; use-o com muita inteligência. Ninguém suporta um teclado dedilhado pra lá e pra cá, aleatoriamente. Se for um hino próprio para a ocasião, baixinho, tudo bem, mas notas soltas...nem pensar.

    8- A música tem o poder de mobilizar as estruturas mentais.


    9- Culto animado não é sinônimo de barulho. Reverência, participação, adoração, comunhão, consagração, dedicação, apontam para o equilíbrio. O templo não é um lugar sombrio, triste, com silêncio sepulcral, é um espaço de alegria, louvor, transformação, decisões.


    10- Se você faz parte da equipe de músicos, nunca fique se distraindo e brincando com os instrumentos no altar, após o culto.

    “E Quenanias, príncipe dos levitas, tinha cargo de entoar o canto; ensinava-os a entoá-lo, porque era entendido nisso.” 1º livro de Crônicas 15.22.


    Ivone Boechat

    ResponderExcluir
  2. Hinos, louvores e barulho.

    Ivone Boechat

    Antigamente, quando alguém passava na rua poderia ser alcançado pelo poder de Deus, ao ouvir a Igreja cantando um hino inspirado, com letra simples e profunda. Sempre a Igreja usou instrumentos musicais: violino, órgão, piano, ou acordeom... Quantas pessoas se converteram... ouvindo um hino, um coral, a música inspirativa ? Hoje, quem passa pela rua ou por fora do templo, não consegue ouvir nem a igreja cantando, coitada, ela até se esforça, grita, fica na ponta do pé, se esgoela, mas não vence o som altíssimo da bateria, estrondando e balançando lustres e vidraças, com 90 decibéis. Quem sabe até despencando o telhado.

    Os educadores andam sobressaltados com tanta coisa que se esbarra na formação da futura igreja. Ela está aí e não venham dar a desculpa que não convence: “para conquistar os jovens é preciso liberar tudo, heresia na letra, barulho ensurdecedor, dança, som de danceteria, coreografia, porque o mundo está perdido e é preciso ceder”. A educação tem recursos para ajudar a por as coisas em ordem. Não precisa se contaminar com o mundo nem adoecer todo mundo com tanto barulho.

    Os evangélicos têm hinos perfeitos, lindíssimos e inigualáveis e alguns “cristãos modernos” ficam esnobando esse acervo, chegando ao cúmulo de discriminarem e até substituírem os maravilhosos e inspirados hinários por “louvores” mal feitos, sem pé nem cabeça. Acham que louvar é fazer muito, mas muito barulho...! Quando se usa o som acima da capacidade auditiva, desequilibra, irrita e...pode até matar. Quem usa marca passo não pode ir à igreja. Os idosos estão sendo expulsos, as crianças, coitadas, sofrem..., e haja tímpano. Os cultos ultrapassam a 80 decibéis! Muitos irmãos não agüentaram e desapareceram dos barulhões que antecedem ao culto. Chegam mais tarde! Ou nem chegam.

    “A minha casa será chamada casa de oração”. Mt 21:13

    O ambiente na igreja deve ser próprio para a comunhão, para a oração, sim, para o louvor e não para um show que desarmoniza, incomoda, desprepara o cérebro para receber a mensagem. O cérebro desorganizado não está apto para gravar nada.


    Por onde andam os corais infantis? Cadê os quartetos que cantavam nas Igrejas? Cadê os hinos lindos tradicionais ? Há igrejas que nem evangélicas são que estão tomando posse dos hinos do cantor cristão, da harpa e outros nossos hinários tradicionais, e afirmando que são hinos deles. Que eles cantem, tudo bem, cantemos juntos ao redor da terra, mas nunca, porque nós os desprezamos ou substituímos o belo pelo desarranjo.

    “Parece-vos pouco o fatigares e provares a paciência dos homens? Agora quereis também abusar da paciência do meu Deus?” Isaías 7:13

    ResponderExcluir