Não me confunda



Eu sempre acreditei que quem ama não confunde. 
Quem ama não indica o caminho errado para o outro se perder,
e depois diz que foi brincadeira.
Não, quem ama não faz isso.

Mas com você quero acreditar que seja charme. 
Com você, eu penso que seja timidez. 
Apesar dos 21 anos, se apaixonou, teve um namorado, sofreu. 
Eu imagino que tenha um pouco de medo de se relacionar de novo.

Você está confusa e, isso me confunde.
Me belisca por favor?
Ou melhor, me beije e tire minha duvida.
Me prenda ou deixe-me ir.

Me corresponde, carinhosa,
toda jeitosa me abraça com as palavras.
Mas nunca certeira, é como se despir pro parceiro mas nunca se entregar. 

É como pegar a maçã do pé e nunca morder.
Mais claro do que eu sou, só se eu bater na porta da sua casa com um bouquet, 
talvez você espere isso, não sei.

Mas fico sempre aguardando sua resposta, 
e sempre é carinhosa, porém vaga.
Gentil, mas nunca certeira. 
É dúvida? 
 Você diz, dizendo pouco, ou não diz nada falando muito? Estou confuso. 

Me dói as vezes pensar,
que nunca me procura por si só. 
Sempre eu estou na sua varanda,
cantando na porta do seu coração.

Eu sei que você gosta de mim, 
que me admira, 
e sabe que seria legal estar comigo. 

Até sonhar, já sonhou. 
Abraçados, ríamos. Apaixonados, estávamos. 
Você sabe que a felicidade comigo esta na sua porta.
Espero que me procure em tempo.
Andy Veríssimo Blogueiro

Cristão, publicitário de profissão, teólogo e poeta nas horas vagas. Músico e ministro de louvor, amante de sorrisos, do amor, dos livros e de bacon, é claro. Desde pequeno, sempre escrevi poesias, sempre apaixonado pela escrita decidi colocar alguns desses retalhos num blog.

2 comentários:

  1. Vc me descreveu colega!!A decepção foi aos 17...rsrs...Belíssimo texto!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, obrigado! Volte sempre. Fico feliz que pôde se ver no texto. Um abraço, Andy

      Excluir